quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Transbordando

Transbordando

Se me ponho a escrever,
sinto que cada verso escorre pelo meu rosto,
quente e salgado...

E transbordo poesia,
Como se minha alma lacrimejasse, infinita,
enquanto emudeço...

Se me ponho a escrever,
derramo minha alma no papel,
e nunca fico vazio de mim.

Mando Mago Poeta 22:30 14/10/2009