sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Árvore

Sou árvore

Sou árvore, enraizado na solidão,
árvore! no caos da poluição.
Sou árvore, de folhas esbranquiçadas,
árvore de frutos do coração...

Sou como a árvore da floresta,
embora viva na cidade,
com lágrimas de sereno,
e cimento nós pés... De saudade.

Árvore! Nascida da vontade perene,
suja de fumaça, verde por teimosia,
árvore de poucas palavras
Mas, ditas em poesia solene...

Sou a árvore que você poda de dia,
e resisto até a próxima chuva de verão,
Quando as lágrimas torrenciais,
em sua forte e única melodia,
Enchem-me de forças e amor no coração.

É meu tronco que agarras na dor,
Minha sombra que te alivia o calor,
mas, nas horas de inverno intenso,
seco sozinho na praça escura, triste, tenso!

Sou árvore, sim! Árvore do tempo.
A mesma árvore da montanha,
coberta de neve triste
tentando resistir ao vento,
e a dor que persiste...

...Sou árvore velha e cinza,
Preso no mesmo lamento,
Poeta de raízes profundas,
Aprendiz da Natureza...
Com galhos frágeis.

Com galhos que não alcançam o céu,
Preconizado, o desafio de viver,
com um coração feito a canivete,
e dois nomes...

" Que não são o meu e o seu!"

Mando Mago Poeta 10:52 23/10/2009