segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Cinzas do coração



É começo de noite na floresta,
Fogueira acesa iluminando rostos,
corpos quentes dançando ao redor...

É festa na aldeia tranquila,
nenhum animal está a espreita,
olhares brilhantes, cantam a vida...

Enquanto bebo na cuia sagrada,
adornada de pedras coloridas,
minha alma canta em língua nativa,
o canto mágico do amor...

É noite escura, lua minguante,
Em cada guerreiro ofegante,
na dança que lhes é de costume,
mostrando a força e destreza,
e o cuidado com a Natureza...

É dia na floresta tranquila,
as cinzas dispersas no chão,
meus olhos continuam abertos,
minha alma continua a cantar...

Se voltar agora para casa,
meu corpo vai acordar,
e minha alma, parar de cantar,
e voltar a ser fogueira apagada...
com as cinzas de meu coração.

Mando Mago Poeta 22:16 19/10/2009