domingo, 11 de outubro de 2009

Paixão

Ainda tenho a pele marcada,
o perfume de seu corpo em mim...
Ainda carrego a tatuagem
de suas unhas a me corromper a razão...

Numa loucura indizível de prazer,
Onde arrancastes minhas indecisões,
e lançara teu corpo no meu,
como a salvar-me da morte!

No final de uma noite extenuante,
deixei minha razão, caída sob seus lençóis,
E renasci um novo homem...
Com o corpo arranhado, e a alma polida!

Mando Mago Poeta 13:29 11/10/2009