quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Não sei por que

sementes

De tanto fugir do tal amor
ele nos cerca feito ladrão
e nos rouba a calma
nos consome a alma
feito furacão...

Não sei por que
a gente vira refém do coração
"e o corpo todo bate"
como pêndulo
ou um sino da catedral da emoção...

Não sei por que disso acontecer
e simplesmente ficamos a obedecer
as ordens de uma invisível
e imaculada força interior
que nos move contra vontade

"ao cais da paixão!"

Mando Mago Poeta 21:38 10/10/2012