sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Amor platônico

 

Vejo-te reluzindo,
com esses olhos azuis,
como imãs gigantes,
a me atrair...

Já não sei,
Por quanto tempo resisto,
já não sei dizer não,
apenas resisto, na indecisão...

Você me apareceu,
feito um anjo azul,
brilhante e carente,
e meu coração cedeu...

Dominado e complacente,
apaixonado e indeciso,
amor platônico, inocente,
sou teu, em poema,
verso, prosa...indriso.

Sou um poeta apaixonado,
por uma dama tão bela,
cheio de amor, devotado,
diluído em uma aquarela.

Mando Mago Poeta 18:50 22/1/2010