quarta-feira, 2 de julho de 2008

§ Despedida §




Mesmo que eu sonhe sozinho
Que rasgue meu peito de dor
nunca maldirei esse ninho
onde um dia existiu amor...

Mesmo que eu parta chorando
feliz eu estarei por dentro
Porque estou nos libertando
do abismo do esquecimento.

Amor para ti entreguei
de corpo e alma amei
Mas a vida nos separou
e só silêncio que ficou...

É, amor, estou em despedida
Sigo meus passos adiante
e busco uma nova vida...
adeus.

Armando Mago Poeta