quinta-feira, 5 de junho de 2008

§ Céu de esrelas §

Em quanto a tarde chega
penso em quantas estrelas
estão escondidas no céu...

As horas passam de vagar
e meus ólhos buscam as luzes
luzes indiretas, reflectivas como eu...

Em plena noite me encontro só
coberto de luz e solidão,
Esperando um novo amanhecer...

Em vão corri atrás de uma estrela
Com blilho sem igual
Querendo sua luz pra sempre em minha vida
Corri o mundo olhando o céu,
Desbravei matas, percorri cidades...

A luz que ela tinha era assim, refletida, indireta...
E nada tinha de real em seu brilho.
Apenas brilhava quieta...

Agora fitando o céu, me encontro,
No ritmo que acostumei...
Mesmo não procurando mais estrelas
passo os dias e as noites pensando nelas...

Assim me encontro.
Só na noite, mergulhado em um mar de estrelas...


Armando S. Araujo
5/06/2008