sexta-feira, 18 de julho de 2008

Vinho



Você apareceu nos fachos de luz entre as nuvens

Trouxe-me as lembranças da terra e do céu

Da vida emprestou-me a esperança

Da alma aconchego e amor

Quantos túneis de vento

Quantas taças de vinho...

Levaram meus pensamentos bons

Enveredando-me em sonhos umbralinos

Das sombras das nuvens ressurgiu tua imagem

Clareando meus caminhos antes obscuros e sombrios

Das lâmpadas de amor e carinho, a luz de seu olhar

Em meu cálice de dor brotou uma nova existência

Em minha face envelhecida de dor

Brilha agora o retrato do amor

Ressuscitado ser, taça da vida



Mando Mago Poeta

18/07/08