sexta-feira, 5 de julho de 2013

Quase perfeito

 

 

quase perfeito 

Ao romper a noite quieta
com seus sussurros
falando de amor
acordei com saudade
com perfume de flor...

Parecia tão real sua presença
que livrou-me do mar de indiferença
onde repousava cada noite.

E levantei com o peito ardendo em chamas,
e nos ouvidos, sua voz suave me chamando
como se fosse tudo real.

Levantei de um sono tranquilo
com seu perfume em meu quarto
e o coração pulando no peito!

É, não tem jeito!
Nem a distância nos separa
e nossas almas percorrem o espaço
em busca um do outro...

Por esse amor quase perfeito.

Mando Mago Poeta 20:28 3/5/2012