quarta-feira, 31 de julho de 2013

Despedidas

despedidas

 

Despedidas

Enquanto tudo era um jardim florido
tu deixastes a porta da alma aberta,
e raios solares reinavam absolutos!

Cada dia que me amavas tão sincero
era um viver em total plenitude...
e nenhuma nuvem encobria nosso céu
que rompia os limites do belo!

Foram anos-luz de existência
inebriantes e repletos de harmonia,
vividos em tão pouco tempo...

E como se tudo assim não bastasse
e o êxtase do perfeito não existisse,
um dia você apagou as estrelas
e de nosso céu despido de nuvens
deixou que os nimbos coexistissem...

Rompeu um tratado com o celeste
tempestuoso e indolente
obscureceu o destino inocente
com as futilidades do mundo!

E cavou numa despedida cruel
um poço frio e profundo
onde enterraria nosso amor
com o Sol, a Lua e as estrelas,
em indecifrável pesar...

E o perfeito perdeu a harmonia,
o belo perdeu a beleza
dando espaço a sua frieza
e a minha agonia!

"Partistes deixando o belo,
mas meu amor é sincero,
e nunca se acabará!"

Um dia, você se arrependerá...

Mando Mago Poeta 13:52 4/5/2012