quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Eterna saudade

aprender a perdoar 

Hoje, um vento frio soprou a janela,
e a fez vibrar em dueto com meu coração.
Carregado de sonhos e desejos
forjei uma falsa felicidade
e os anos passaram-se depressa demais!

Entre tantos abraços apertados,
amores fugazes, paixões avassaladoras,
sobrou somente esse poeta solitário...

Debruçado na escrivaninha velha,
escrevendo amor e sonhos no papel.
Semeador de desejos tão belos,
de sentimentos dos mais nobres,
vivendo como um homem comum,
nem tão rico, ou dos mais pobres...

O papel deu frutos em versos,
e continuei a plantar mais e mais!
Plantei sonhos cheios de ti
e colhi o fruto da eterna saudade.

"Continuo sendo o apenas um semeador de versos."

Mando Mago Poeta 19:52 26/4/2012