segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Poemas e poesias

 

O poeta e a arte

2595714

Com a avidez de um guerreiro, o lápis circundou os contornos de um rosto no papel,

criou uma forma sem vida, com as expressões de uma mulher…

Nela escreveu seus versos, um tanto dispersos, e a fez sorrir.

Após formar um soneto, notou que aquele sorriso era de alegria,

e que naquela face, que lhe sorria,

havia um soneto de amor!

Quando desenha, escreve poesia,

quando escreve, desenha versos…

O poeta é o que tem por dentro.

Mando Mago poeta – 29/11/2010