segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Velho poeta triste

Minhas insensatas noites
meus pensamentos retos
meus dias incertos...

Minhas idéias concretas
meus sonhos solitários
minhas noites de insônia...

Minha voz baixa
meu coração que grita
minha mão que escreve...

Minhas mãos que acariciam
meu corpo que arde
meus pés que fogem de ti...

Minhas rugas do cansaço
meus cabelos grisalhos
meus músculos flácidos da desilusão!

Meus sorriso incompleto
meus óculos da razão
meus dias, mortos se vão.

Mando Mago Poeta 22:32 28/12/2009