quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Casa Limpa

ventos

Hoje a poesia tomou conta de mim,

Lavou minhas roupas sujas de adjetivos ruins,

Poliu o candelabro de querubim,

fez um jantar de verbos, conjugou o amor…

Hoje a poesia lavou os lençóis,

que sujos estavam de pó,

pois eu já não dormia…

Triste por viver só.

Hoje a poesia limpou os armários da memória,

varreu de meu peito as folhas secas

que caíram, no outono, de meu coração…

Depois tanta desilusão, e tão pouco glória.

Hoje, somente hoje, não amarei ninguém,

pois a poesia limpou meu coração,

lavando todo vestígio de sentimentos,

Para que eu possa começar um novo ano…

“Com a Casa Limpa!”

Mando Mago Poeta 21:53 30/12/2009