terça-feira, 17 de novembro de 2009

Amante da poesia

Em quantas palavras ocultas
no subjetivismo do poeta
encontras as respostas interiores?

Em quantos versos lidos
estrofes murmuradas,
a emoção aflora em você?

És leitor assíduo de palavras,
de contos e cantigas rimadas,
nas mais variadas formas
que a alma humana pode descrever...

Em quantas frases emocionadas,
cheias de lágrimas ocultas,
de suspiros naufragados
afogados em choro verdadeiro...
Você sentiu o coração palpitar?!

Segues o vento que não vês,
Cintilante alma poética,
estrela cadente das emoções,
no mundo do Poeta, vivente...

É nesse fulgor que verso
o mais íntimo de meu ser,
em magia pura da alma,
amor e emoção derramados no papel!

A você que encanta minha sensibilidade,
que me desperta no meio da noite,
que molha meu rosto, me abre um sorriso...
teu coração sensível, poético é meu papel.

Mando Mago Poeta 15:54 17/11/2009