quarta-feira, 18 de julho de 2012




Águas

Vem a chuva e eu tão só
vento molhado como eu
sentimentos a flor da pele...

É depois das tempestades que a vida se renova
regada de mudanças importantes e necessárias.

Vem a chuva e a temperatura cai
como minha solidão que desce o morro
essa montanha de pensamentos que se esvai
e não sei se fico ou corro.

É no frio do acordar para a verdade
que o coração se aquece de esperanças.

Vem a chuva e o barro desliza inocente
tapando os ouvidos de muita gente.
E tudo se resume em palavras sem consistência!

É nas avalanches que o terreno se renova
e traz a tona novas formas de vida
limpando toda raiz que não sustenta a força da vida!

Vem a chuva e o meu rosto molhado
seca em puro sal de tristeza...
cobre-me da pele a falsa beleza.

É depois das lágrimas que a alma se renova
e busca novos rios de água doce
onde sacia a sede de viver e continuar seguindo em frente!

Vem a chuva
Mas depois vem o Sol.

Mando Mago Poeta 21:15 15/3/2012