sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Amor eterno

23112008(007)

Amor eterno

Quando meus pés acariciaram a grama,
em toques suaves e silenciosos
você já havia dormido tranquila,
recostada naquela árvore...

Os raios solares entre os troncos,
banhavam seu corpo e sua pele branca
que reluzia os tons alaranjados do Astro Rei.
As folhas murmuravam belas poesias,
escritas no chão verdinho...

Eram formas de luz que transpassavam
entre cada uma delas, e agitando delicadamente
desenhavam formas no gramado.

Nunca eu escrevi tantos poemas!
Parecia ler no chão, as palavras das folhas,
e rimar cada verso como se não fossem meus...
Ah! Mas eram meus os sentimentos de amor,
ao fitar seu corpo e suas curvas,
banhadas pelas luzes coloridas!

Fiquei ali calado, ouvindo o murmurar das copas
das árvores poetizas da Mãe Natureza...
E quando você acordou tão bela, eu a envolvi
em um abraço longo e delicado, recostando sua cabeça
em meu peito... Em poucas horas que nos amamos,
ali sob as árvores à beira do rio, eu vivi uma vida inteira
de amor, contida em duas almas ligadas pelo destino!

"Viver o amor em seus braços é viver o eterno na Terra..."

Mando Mago Poeta 19:00 28/10/2011