sexta-feira, 30 de abril de 2010

Humano

Humano

Moedas nas árvores
onde haviam folhas
folhas nos corpos
onde haviam cabelos

Não entendo o humano
falsificando as folhas
são apenas alimento
quando caem no chão...

Míseros cabelos
brancos, insanos...
raízes no concreto
asfalto na floresta! Que decepção!

Não entendo o humano!
morrendo por folhas,
matando as moedas
respirando fumaça...

Raízes de couro
unhas molhadas nas lágrimas
da chuva enraivecida
na lágrima acida,
da consciência derretida…

Mando Mago Poeta 20:47 30/4/2010