domingo, 18 de abril de 2010

Beijo, Lamento, Voraz…

Beijo frio

Quando o vento frio da noite
beija meus lábios solitários
sinto um leve arrepio
pois lembro do frio de seus lábios

querendo roubar um beijo meu...

Mando Mago Poeta 23:34 17/4/2010

Último Lamento

Quando a lua surgiu,
um sonho desfez
no meu peito vazio...

Quando o sol nasceu,
um poema se fez
ao poeta que morreu...

Quando caiu a tarde,
chorei baixinho
para não fazer alarde...

Adormeci no colo da Lua,
quando acordei
Estava deitado na rua...

Numa cama feita de papel,
dezenas de poemas escritos a mão!
dedicados à um amor de bordel,
Amei e escrevi, morri na solidão.

Mando Mago Poeta 00:00 18/4/2010

Sem Sentido

Vasto vento
largo rio
qual lamento
me infringiu

forte verde
alto frio
minha árvore
não floriu

leve flor
linda cor
teu sabor
desamor...

salto alto
tombo curto
no asfalto.

letra
verso
palavra

muleta
disperso
reverso
poema!

Que sentido há em sentir
se sinto um sentimento
sucinto, vazio... lamento!

Mando Mago Poeta 00:26 18/4/2010

Paixão

Sólido, distinto
quase um nome
quase fome
que sinto

Incógnito, sangrento
quase imagem
miragem
que vejo

Displicente, voraz
quase um amor
paixão
sagaz...

Mando Mago Poeta 00:31 18/4/2010