segunda-feira, 19 de abril de 2010

Mãe

rosa2

Mãe

Porque Mãe, partira tão cedo,
No vento da madrugada,
quase morri de medo.

Perante o mundo chorei,
Quase parti também...
Por anos me indaguei
se melhor seria o além.

Porque lembro de seu olhar,
embora sinta a tristeza,
de ver-te se embriagar,
no véu da incerteza...

E foi-se, porquê?!
Deixou-me sem chão,
morri aqui dentro,
no meu coração!

Ainda na estrela te vejo,
nas noites mais belas,
Porque foste sempre o desejo,
de amor imortal, nas minhas aquarelas!

Mando Mago Poeta 21:29 19/4/2010