sexta-feira, 8 de agosto de 2008

§ A verdade é seta certeira §

Em um dia frio e chuvoso me encontro com a verdade,
A verdade que em mim havia se escondido
E em meio a tormentas, transformada em lágrimas
Nesse ser que vivia aturdido

Em um repouso calmo, sob a sombra de um móvel
Alma flutua tranqüila em busca de paz
Sonhando, por vezes, ser feliz sem demora
E continuar sendo um ser capaz.

Há muito perdido sobre os escombros
De um de uma vida vazia e sem amor,
Há quem diria, sem vida e sem calor.

A verdade sempre vem
Mesmo que demore muito.

Surge um olhar carinhoso
Um abraço cheio de amor...

E A verdade vem.

Vem.
v...
v.