terça-feira, 8 de novembro de 2011

Uma história de vida.

Certa vez, conversando com um velhinho, deparei-me com emoções que me deixaram confuso.

Foi mais ou menos assim:
Eu andava desiludido da vida, e comecei a caminhar sem rumo, andando entre as ruas do bairro.
De repente vi um salão pequeno, algo como uma garagem com porta de aço de enrolar, e ao olhar
para dentro do salão, vi um toca discos muito antigo daqueles que chamavam de “Radiola”…
Era um aparelho digno de um museu! Eu, como gosto muito de coisas antigas –especialmente os
eletrônicos- Parei e fui até lá para olhar de perto. Havia um senhor já de idade avançada mexendo
nas ‘tralhas’ eletrônicas muito concentrado.
Sem ter vergonha ou receio, já que estava empolgado com a visão daquele aparelho antigo, pedi licença
e quis olhar mais de perto aquela relíquia. O Senhor, sem cerimônia me mostrou o tal equipamento e
passamos a falar sobre o assunto por algum tempo.
Não me lembro quanto tempo foi que ficamos ali de prosa, mas sei que não foram poucas as horas.
A certa altura da conversa, aquele velhinho olhou para mim e começou a falar de outro assunto
que, na verdade me era doloroso e inquietante. Falou ele:
-Meu filho, o diálogo entre as pessoas que se amam é um tesouro difícil de garimpar!
Mãe é uma alma humana e passível de erros. Irmãos são pessoas agregadas nos lares, mas com
personalidades e costumes diferentes… Em fim, vivemos juntos, mas não somos necessariamente
perfeitos nessa relação familiar. Na maioria das vezes achamos que a pessoa amada tem por obrigação entender-nos totalmente e até adivinhar o que sentimos em cada momento de nossas vidas. Puro engano! As vezes é preciso abrir o peito e arrancar todas as palavras que puder, deixar-se fluir de forma natural, espontânea… Só assim poderemos saber o que está guardado dentro de nós…

Conhecer-se é expressar todo sentimento contido na alma, de forma a não deixar acumular nada que possa transformar-se em “lodo emocional”… Cuida de expressar-se e falar sobre tudo que puder, seja o que for, doa a quem doer. É essa a verdade que fará você desobstruir o seu emocional nenhuma emoção escondida o surpreenderá na sua jornada. Quem diz o que sente e presta atenção em cada gesto e palavra, cada sentimento que brota na hora de se expressar, aprende a se conhecer e a controlar seus egos, passando a ter uma menos quantidade de “cascas”. Desobstruir o emocional, desvendar suas próprias verdades, deixar-se fluir! Seja você mesmo, sempre!
É preciso aprender a ouvir… –Disse ele enfaticamente – Ouvir mais e falar menos.
Eu, que sempre soube ouvir, me senti um tanto estranho, pois ele falava isso como se soubesse que eu precisava
daquele conselho, mas eu achava que já sabia ouvir e aquele homem não sabia nada de mim, então não
dizia coisa com coisa! Ele, em sua calma invejável, olhou nos meus olhos e continuou:
-Filho, ouvir não é exatamente o que pensa, não é apenas o ato sensorial que nos faz ouvir!
Ouvir as pessoas é sentir em cada palavra o que querem dizer e muitas vezes não conseguem expressar,
seja por medo, respeito, insegurança… Importa que você aprenda a decifrar em cada palavra o seu significado
e poder entender melhor o que as pessoas lhe dizem. Aqueles que te ofendem hoje, são os que o amam e,
infelizmente não sabem como expressar esse amor! Aprenderam a amar com a dor e o sofrimento, mas
não aprenderam a expressar o amor com carinho e afeto. Não podemos criticar essas pessoas, porque sabemos
que eles vão chorar muito até aprenderem a amar. Muitos vão afastar-se deles por isso.
Você chora porque acha que sofre e ninguém vê, mas por acaso consegue ver os que sofrem ao teu lado?
Quantas vezes foi egoísta querendo um abraço enquanto o outro chorava por dentro uma dor maior?
Veja, filho, aprenda a ouvir… As palavras nem sempre expressam o que se quer dizer, é preciso olhar nos olhos
e tocar uma pessoa em um abraço, ou mesmo segurar sua mão para que “sinta a pessoa” e o que ela diz.
Vivemos em um mundo onde as pessoas se afastam cada vez mais, com medo umas das outras, e no fundo,
querem um longo e terno abraço!

Em seu tempo, saberá enxergar em cada olhar, cada ‘meia palavra’, o significado suas palavras inauditas!
Seja como for, sei que você aprenderá isso...

-Para mim, foi um verdadeiro "choque". fiquei ali parado sem saber o que dizer e até esqueci dos motivos
que me fizeram perambular pelas ruas sem destino! (na verdade lá era o destino!)
Depois disso, não me lembro de nenhum dia, que alguém não me procurasse para pedir conselhos.
Diversas vezes fui abordado por pessoas que nunca me viram ou falaram comigo, por colegas de trabalho
e estranhos na rua ou outros lugares. Minha vida mudou!
Aquele velhinho me abriu as portas de um mundo que eu não conhecia e nem imaginava existir...
Mundo real!Onde foi a minha velha vida de vítima eu não sei, mas sei que aprendi a ver a vida de uma forma diferente e desafiadoramente mágica! 

É Sempre soube que o que vejo e sinto poucas pessoas aceitam, mas algumas vezes fui entendido.
Importa dizer que para ser quem eu sou, precisei aprender a 'engolir' o orgulho e aceitar meus defeitos...
Aprendi a assumir os meus erros sempre que foi necessário e pagar por eles 'a vista'.
Não quero levar dívidas para a outra vida. Quero paz no coração e a alma leve. Sou um homem                                                          que não consegue viver com a dúvida. Sou curioso e desafio a verdade a todo instante!
Seja como for, a mesma verdade que me dói é a força que me alimenta a vontade de viver...

Aprendi que não somos expectadores de nossa vida, somos os atores principais. Vaguei por muitos anos
sem destino certo, com o coração buscando algo que faltava e não sabia oque e nem onde encontrar.
Foi então que percebi, nas palavras do velhinho desconhecido, um significado diferente de "Verbo".
O Verbo passou a ser toda expressão contida na linguagem de cada ser!
Alguns dizem com palavras, outros se perdem nelas, tornando-se verbo dissuasivo, destrutivo...
O verbo constrói e destrói!

Nada nessa vida me fez mais bem, do que a verdade, a água pura que nos lava a alma quando precisamos
de algo que arranque de dentro de nós todo sentimento negativo...
Falo tudo que sinto, após racionalizar, meditar, concentrar minha atenção nos detalhes antes de
fazer "o Verbo agir..."

-Para você que se sente magoada com alguma palavra, saiba que:
Não há um só erro meu que não assuma, tenho plena consciência de meus atos... sempre!                   

Se mereço perdão? Talvez não. Nem quero pensar que poderia ser perdoado, eu sei onde errei e as palavras não tem conserto! O Verbo está no ar, assim como toda ofensa que nunca se apaga da lembrança… Mas me liberto de tudo que me faz ter dúvida, pois nunca deixei de dizer a verdade e nem temi as minhas próprias verdades. Eu me perdôo, Deus me perdoa, a verdade me perdoa. Não importa. Sou esse ser falho aprendendo a viver livre.

Mando Mago Poeta