quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Amor - Filho do mar

É que estou tão sozinho,
preciso de um ninho,
para me aconchegar...

vou andando de vagarinho
triste no caminho
só a lamentar...

E você não me vê,
nem pode me entender,
só a ti vou amar...

Vou sonhar com você,
e parar de sofrer,
pois em sonho, tudo se pode tocar...

Vai meu coração tão triste,
nesse rio persiste,
em se afogar!

Vai então ver que existe,
um amor que persiste,
para eternizar...

Vai correndo e sofrendo,
nesse amor morrendo,
para ressucitar...

Um dia você morre,
e o rio que corre,
vai te afogar...

Vai nascer novamente,
filho da corrente
da água do mar!

Mando Mago Poeta 13:05 28/10/2010