domingo, 31 de outubro de 2010

Vivo, pois escrevo.

As vezes, questiono-me sobre a vida, não entendo como é possível ser poeta sem ser morto… Então, chego a conclusão que já morri a muito tempo, tentando ser poeta. Sou um famoso desconhecido, escrevendo sobre a dor de amar… Sou um poeta morto, que não alcançou o seu sonho de viver sem escrever sua dor!

Se ainda vivo, embora morto, é que minha morte é diferente… Morri apenas no papel, não tive coragem de morrer de verdade!

Morri de amor! E, será que um dia, vou poder viver de amor? Será que um dia, deixarei de escrever? Talvez. e nesse dia, terei deixado de amar.

IndiciosDeChuva

 

Lencol_byAninha

mando26anita