quarta-feira, 26 de maio de 2010

Diluído

 23112008(013)

Estou diluído,
Liquefeito,
Chorando doído,
amor imperfeito!

Vou escoando pelas rugas do mundo,
nas fendas grotescas do morro,
enchente de um ser moribundo,
não sei se mato, ou morro...

Estou pura água,
transparente,
insípido!
afluente...

Congelado aos olhos do mundo,
derretido em seu toque,
transbordo no mar profundo,
onde deságuo... A dor muda o enfoque...

Misturado ao mar, já não sei quem sou!

Mando Mago Poeta 16:01 26/5/2010