quarta-feira, 26 de maio de 2010

Amor Eterno

flor 

Ainda teimo em cheirar a rosa,
Meu jardim já secou a tempos.
Que perfume de rosa morta,
seca entre meus dedos,
me inebria nesse instante?!

Rasgo meu peito a retirar a dor,
arranco meu coração a força!
Nada me mata, tudo me tortura!

A rosa murchou a tempos,
mas o amor permanece perfumado...
impregnado em minha entranhas,
findo meu corpo, em adubo transformado,
e um novo jardim florirá,
com o perfume da rosa que em minhas mãos morreu,

e em minha alma deixou o perfume...

do amor eterno!

Mando Mago Poeta 16:32 26/5/2010