domingo, 1 de março de 2009

Pergaminho

Gravo neste papel meu desejo
um papel já deteriorado pelo tempo
que guardo em uma gaveta

Grafo minha dores, em despejo
Meus sonhos soltos no vento
lágrimas na pireta...

Na química solitária e triste
Dissouvem-se os sentimentos
Evaporam-se as emoções

E nesse papel envelhecido existe
meu tesouro da alma em seus momentos
guardando em símbolos as gerações.


Mando Mago Poeta 03:11 1/3/2009